Aos trancos e barrancos...

Ouvindo 'It was a very good year' do Frank Sinatra (Pra começar, em homenagem ao demônio que me fez gostar disso, Brunasso).

Aos trancos e barrancos começo a escrever isto, que se propõe algo como uma pequena biografia dos meus últimos dias.
Tantos e tão últimos. Tão cheios dos trancos.
Entendam, por últimos dias, como os últimos acontecimentos que mudaram bruscamente minha vida para o que virá a ser a partir de agora.

Para conseguir o feito, de contar uma história tão viva, que eu não faço idéia de como vai acabar, pedi ajuda a uma trilha sonora bem apropriada. E vou contando pra vocês quais músicas vão tocando enquanto escrevo, pra dar uma noção melhor do ambiente.

Ouvindo 'Skin and Bones' do Foo Fighters.

Dando um pulo rápido para o passado, voltamos ao fim do meu primeiro ano de faculdade, na USP de São Carlos, mais precisamente no começo das minhas frustrações com o curso de Engenharia e com a prórpia universidade.

Dali até o fim do meu terceiro ano, que foi no fim do ano passado, foi mais ou menos um acúmulo de meus desentendimentos com a minha vida estudantil.
Acontece que quando você vai fazer uma faculdade longe de casa, dos amigos, da namorada, da maioria das coisas que faziam parte da sua vida, a sua vida passa a ser a sua vida estudantil.

Ouvindo 'Forty Days' de Dave Brubeck Quartet.

E quando isso acontece, um probleminha na faculdade vira um probleminha na sua vida, e quando esse probleminha insiste todos os dias, ele se torna um problema crescendo na sua vida.
É difícil explicar, mas frustração é a palavra que mais faz sentido quando eu penso no que aconteceu comigo naquela faculdade.
Tentativas, frustração, esforço, frustração, dar o sangue, indiferença.

Ouvindo 'Lifeline' de Ben Harper (Recomendada pelo caríssimo demônio Tiezi).

Acho que meu maior erro foi deixar que minha vida girasse em torno de uma coisa só: a universidade. Acho que pra qualquer um isso é válido, seja uma faculdade, um objetivo, um vício ou uma mulher (uma pessoa).
Reduzir o significado de nossas vidas a uma coisa só, já diz por si mesmo que é restritivo. Reduz.

Mas é.. na vida a gente erra.

Ouvindo 'insensatez' de Fernanda Takai.

Então, depois de muita guerra, de muito pensar, de muito tentar resolver as coisas de outra maneira, parei.
Tranquei a faculdade.
Me acusaram de ser precipitado, ousaram pensar que eu não pensei antes de tomar uma decisão que, a curto prazo, me tirava de um 'futuro brilhante' e me jogava devolta para o chão.
Ou talvez num buraco, sendo criticado por quase todos...

Eu os entendo.
Amor sempre cega - é difícil ver que sua preocupação possa estar ofendendo ou piorando a situação da pessoa. Acontece.

Fui criticado por muitos.
Não, tô pegando leve.
Foi uma guerra que durou um mês e um pouco mais.
E não está vencida ainda, mas o bombardeio acabou.

Ouvindo 'Friend is a four letter word' do Cake.

Felizmente, houve aqueles que entenderam.
E devo um agradecimento especial a eles.
Não que sejam mais especias, não classifico meus amigos.
Talvez entenderam por terem passado por algo parecido, ou não, por empatia mesmo.
Só, obrigado, pelo apoio.

Ouvindo 'Back to the ground' de Jamie Cullum.

Devolta para o chão:

Quando eu tranquei o curso eu não sabia direito ainda o que ia ser da minha vida.
Ainda não sei.
Mas estou mais leve.
Leve o suficiente para começar mais uma vez outra escalada.

Sempre gostei da sensação.
Apesar de tentar planejar bastante minha vida, não se pode fugir do imprevisível.
Mas isso não me incomoda, como icomoda a tantas pessoas, acho que é assim mesmo.. e me diverte, improvisar às vezes sai melhor do que ensaiar demais.

No fim, decidi que vou prestar algumas faculdades de Economia em São Paulo mesmo, e tentar arrumar algum emprego.
Justo quando meus pais tinham se decidido por se mudar para São Carlos.
É.. a vida é assim. Cada um vai pra onde suas necessidades pedem.
E, se tratando de Econoomia, São Paulo é o centro financeiro do país, e ponto.
São Carlos? É uma boa cidade, com uma boa qualidade de vida.

Ouvindo 'Losing Keys' do Jack Johnson.

"The world has its ways
To quite us down
The world has its ways
To quiet us down comes the rain
Down comes our spirits again
But Down comes the strength
To lift us up and then..."


"..Tu-ru Tu Tu-ru Tu Tu.. "


Ouvindo 'Ride the River' de Eric Clapton & J.J. Cale


Continua...

8 comentários:

Thiago Almeida disse...

Valeu por permitir (aos que lerão este texto e suas continuações) te conhecer mais e compartilhar, por um instante, seus anseios e planos futuros.
Boa sorte na vida, Bruno!

Erika Sodré disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Erika Sodré disse...

...acho q já nasci meio perdida sabe ?!...talvez por isso a razão d'eu entender vc...pelo menos um pouco...ou pelo menos eu acho...rs...as vezes não saber pra onde olhar...não saber onde pisar...me trazem devolta ao mundo real...e as vezes quase sempre vejo como serei meio perdida a vida inteira...

....e hoje....um dia chuvoso....e meio triste sei lá pq...abri meu mail e vi o seu mail...rs...me identifiquei com muitas linhas...e um dia tão tenso como tive hoje....tão sem sentido...mudou completamente com uma frase sua: 'improvisar às vezes sai melhor do que ensaiar demais.'

q bom q tenho as pessoas q tenho ao meu lado...rs...é oq ainda me segura no mundo real...como disse o thiago acima....obrigada por compartilhar td assim tão abertamente...obrigada por me deixar ser uma amiga sua...obrigada por me ajudar a crescer na escreita...pois ela é q forma metade de mim....

Erika Sodré disse...

*escrita...rs..

Amin disse...

Vamos ficar bem locoes improvisando nessa road trip chamada vida, Vaskao!!!

Minduim. disse...

Posso imaginar o que passou, talvez o pior são os outros querendo decidiro o que voce tem ou nao de fazer. mais isso acontece e cair e levanter não é tão ruim assim

Bruno Vasco disse...

Dica enterrada.
A música 'Friend is a four letter word' do Cake olha a perspectiva ruim de uma amizade.
No texto serviu pra ressaltar a parte 'excesso de preocupação cega'..
Será que foi intencional?

coffee-break disse...

depois que eu li engenharia... fala nada!

hauhaua
nada contra engenheiros, meu amigo está se dando bem, mas são as estatísticas né...

boa sorte em economia, uma boa escolha também! se fizer no mack, nos vemos por lá!